Início Escandinávia e Brasil Brasil lidera retrocesso democrático global, diz instituto sueco

Brasil lidera retrocesso democrático global, diz instituto sueco

O país encabeça um fenômeno crescente no mundo de "autocratização", segundo o Instituto V-Dem, que tem o maior banco de dados sobre democracias no planeta

Os retrocessos na democracia têm crescido em todo o mundo nos últimos anos – e o Brasil é um dos países que lideram esse fenômeno, segundo o Instituto V-Dem, da Suécia. A constatação do instituto, ligado à Universidade de Gotemburgo, está baseada naquele que é o maior banco de dados sobre democracias no planeta.

Todos os anos, o V-Dem publica um amplo relatório sobre o status global da democracia. Na edição de 2020, os autores mostram como os regimes políticos e legais dos países transformaram-se ao longo da última década. O Brasil ficou entre os cinco que mais regrediram nesse período, atrás apenas de Hungria, Turquia, Polônia e Sérvia.

Desses quatro, três – Hungria, Turquia e Sérvia – hoje vivem sob regimes não mais considerados democráticos, de acordo com o instituto, que agora dá a eles a classificação de “autocracias eleitorais”. Isso significa que há eleições nesses países, mas, na prática, o poder do Estado está nas mãos de um só governante. É a mesma classificação dada, por exemplo, à Venezuela, comandada pelo ditador (eleito por voto popular) Nicolás Maduro.

Violência e polarização tóxica

Brasil e Polônia são tidos hoje como “democracias eleitorais” (o Brasil recebeu essa classificação tanto em 2009 quanto em 2019), status abaixo do mais alto da escala do instituto, o das “democracias liberais”. No entanto, os dois países são citados como exemplos do movimento global de “autocratização”; ambos têm registrado “polarização tóxica, protestos a favor de regimes autocráticos e violência política”, informa o relatório.

O V-Dem, que no ano passado já havia identificado que o Brasil vive uma “erosão democrática“, produz e coleta informações sobre as democracias nos países desde 1789. Ao todo, 3 mil acadêmicos de todo o mundo participam da formulação dos relatórios. Dos cinco países no topo da lista das democracias liberais, três são escandinavos: Dinamarca, que aparece em primeiro lugar, Suécia (3) e Noruega (5).

Clique aqui para ler o relatório completo.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia também

direito ao esquecimento bandeira da Suécia

“Direito ao esquecimento” faz Google levar multa recorde na Suécia

0
Na última semana, o descumprimento do chamado "direito ao esquecimento" fez o Google levar uma multa sem precedentes na Suécia. Com base em uma...
- Publicidade -