Para aliviar isolamento, dinamarqueses fazem barulho nas janelas

Na Dinamarca, sempre às 19h, as pessoas aparecem nas janelas de suas residências para gritar, assoviar, bater palmas - e até cantar

0
1351
Janelas coronavírus Dinamarca
Som na caixa: moradores do edifício 8 Tallet, em Copenhague, participam do #DanmarkKlapper (Foto: reprodução)

Na Dinamarca, a população criou sua própria válvula de escape para amenizar o isolamento social em tempos de coronavírus: fazer barulho nas janelas. A iniciativa é inspirada na que adotaram italianos e espanhóis, mas, em vez de cantoria, o que mais se ouve saindo de apartamentos e casas na Dinamarca é som no último volume, gritos, assobios e salvas de palmas.

A aparição coletiva nas janelas tem ocorrido desde meados de março, sempre às 19h. Vale qualquer coisa para manter o ânimo (e a sanidade mental) durante a quarentena. “Abra sua janela todos os dias às 19h e bata palmas, grite, toque um instrumento, cante ou bata suas panelas”, sugerem os organizadores, que lançaram a ideia no Facebook.

A convocação foi feita com a hashtag #DanmarkKlapper (ou “palmas na Dinamarca”), registra o jornal The Copenhagen Post. Como não há um só “modelo” de manifestação, há, sim, quem prefira cantar, assim como fazem italianos e espanhóis. A única “regra”, além do horário, é que, passados três minutos, os participantes gritem “boa noite e até amanhã”.

Sinais positivos sobre as restrições

Para conter a pandemia, a Dinamarca impôs algumas das medidas mais restritivas da Europa. A quarentena obrigatória começou no dia 11 de março com a previsão de durar duas semanas, mas, após ser estendido, o confinamento vai agora vai até 13 de abril. As fronteiras dinamarquesas foram fechadas para a entrada de estrangeiros, exceto os que têm residência fixa no país; escolas, restaurantes, bibliotecas e empresas de diferentes setores não estão funcionando. Além disso, estão proibidas reuniões com a participação de mais de dez pessoas.

As restrições são muitas, mas há sinais de que elas começaram a surtir efeito. Segundo o SSI, instituto dinamarquês responsável por pesquisas de doenças infecciosas, o confinamento da população pode estar ajudando a reduzir pela metade a velocidade de transmissão do novo coronavírus em solo dinamarquês.

Até o dia 26 de março (quinta-feira), a Dinamarca tinha 2.023 casos confirmados de Covid-19, a infecção respiratória causada pelo novo coronavírus. A doença já matou 41 pessoas no país, segundo o Centro de Sistemas de Ciência e Engenharia da Johns Hopkins University, nos Estados Unidos.

Abaixo, os moradores do edifício 8-Tallet, em Copenhague, participam do #DanmarkKlapper. Assista:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui