Preloader

Meio Ambiente e Sustentabilidade

Helsinque oferece R$ 4,5 milhões por plano de "calor sustentável"

sexta-feira, 27 de dezembro de 2019
Helsinque oferece R$ 4,5 milhões por plano de

Assim como a maior parte das cidades do mundo que utilizam sistemas de aquecimento urbano para combater o rigor do inverno, Helsinque ainda depende, em parte, do carvão para gerar calor. Mas a capital da Finlândia quer uma alternativa mais sustentável para substituir o combustível fóssil - e decidiu oferecer uma recompensa milionária para quem trouxer a solução para o desafio.

Batizada de Helsinki Energy Challenge (ou "Desafio Energético de Helsinque"), a iniciativa foi anunciada em abril deste ano pelo prefeito Jan Vapaavuori e oficializada no último mês de outubro. A cidade vai escolher a opção de aquecimento urbano que a livre da dependência do carvão e, ao mesmo tempo, utilize o mínimo de biomassa possível. A ideia escolhida receberá um prêmio de € 1 milhão (o equivalente a R$ 4,5 milhões).

LEIA TAMBÉM:
Conheça o Nolla, o restaurante finlandês que não gera lixo
Lahti, na Finlândia, é eleita a Capital Verde da Europa para 2021
Para se manter aquecida, Finlândia terá que importar biomassa

A prefeitura de Helsinque tem apresentado o desafio como uma competição, da qual até mesmo brasileiros podem participar. Empresas, consórcios, instituições de pesquisa, universidades e cientistas podem apresentar suas propostas, que serão avaliadas sem qualquer tipo de distinção entre os concorrentes, segundo os organizadores.

A decisão de Helsinque de buscar um sistema de aquecimento urbano que não dependa do carvão faz parte dos esforços da Finlândia de, até 2035, neutralizar todas as suas emissões de carbono. Essa meta inclui uma lei que estabelece 2029 como o último ano em que será permitido queimar de carvão para gerar energia no país.

No anúncio oficial do Helsinki Energy Challenge, a prefeitura disse que pretendia escolher o plano vencedor dentro de cerca de um ano, a partir do início do recebimento dos projetos. No entanto, ainda não é possível enviar as propostas, já que os critérios para o concurso estão sendo finalizados.

Se o plano der certo, a capital finlandesa pretende estabelecer sua experiência como modelo para cidades de todo o mundo. "Nós temos bastante frio. Se a solução funcionar aqui, saberemos que vai funcionar em qualquer lugar, beneficiando não apenas Helsinque e a Finlândia, mas também outras cidades", diz Laura Uuttu-Deschryvere, diretora do Helsinki Energy Challenge, em artigo publicado na revista americana Fast Company. "Em suma, teríamos um efeito cascata que mudaria o jogo."

O envio de propostas ainda não foi liberado, mas é possível dar sugestões e tirar dúvidas. O contato com a equipe do Helsinki Energy Challenge está disponível neste link.