Preloader

Sociedade

Para evitar ciberataques, bancos dinamarqueses contratam "hackers do bem"

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018
Para evitar ciberataques, bancos dinamarqueses contratam

O sistema financeiro da Dinamarca decidiu reforçar seus escudos contra a crescente ameaça de crimes digitais - e com a ajuda de "hackers do bem". Bancos comerciais e o banco central do país decidiram recrutar os chamados "hackers éticos" para testar sua resistência a ciberataques.

Batizado de TIBER-DK, o programa foi desenvolvido pelo Banco Central Europeu e deverá ser aplicado no país entre 2019 e 2022. Além da Dinamarca, apenas a Bélgica já anunciou a implementação do sistema, segundo a agência Bloomberg.

Os hackers vão fazer ataques realistas aos bancos e a setores vitais da infraestrutura financeira, segundo um comunicado do banco central. Mas, como se trata de um teste, os hackers não agirão contra o sistema se encontrarem falhas. Para reforçar a segurança do trabalho, nem os nomes dos bancos envolvidos nem as datas dos testes serão revelados, informa o jornal digital dinamarquês Finans. Não haverá sequer divulgação dos resultados das avaliações.

A urgência do início dos testes de segurança no sistema financeiro dinamarquês se explica pela crescente digitalização de sua economia. Segundo o banco central, hoje, apenas 20% de todas as transações financeiras registradas na Dinamarca são feitas em dinheiro. A moeda física está se tornando cada vez mais obsoleta no país.