Preloader

Escandinávia e Brasil

Com nova fábrica, dinamarquesa Vestas amplia presença no Brasil

segunda-feira, 18 de novembro de 2019
Com nova fábrica, dinamarquesa Vestas amplia presença no Brasil

A dinamarquesa Vestas, uma das maiores indústrias do segmento de energia eólica do mundo, acaba de inaugurar uma fábrica que sacramenta o aumento de sua presença no Brasil. A unidade fica em Aquiraz, na região metropolitana de Fortaleza, no Ceará. A nova planta recebeu R$ 100 milhões em investimentos e deve gerar 200 empregos diretos e mil indiretos.

Anunciada há pouco mais de um ano, a unidade vai produzir a turbina V150-4.2MW, uma das mais modernas da linha de produtos da Vestas. Desde 2016, a companhia já mantinha uma unidade no município cearense, onde fabrica nacelles (suportes do motor).

LEIA TAMBÉM:
Na Noruega, energia eólica abastecerá até plataforma de petróleo
Dois projetos escandinavos estão entre mais influentes do mundo
Finlandesa Wärtsilä escolhe o Brasil para projeto-piloto global em energia eólica

Mesmo recém-inagurada (a cerimônica ocorreu na última terça-feira, 12/11), a unidade já entrou em operação com 624 geradores do novo modelo encomendados. Os pedidos registrados desde setembro de 2018, quando o projeto da nova fábrica foi revelado, representam 2,6 gigawatts (GW), ou o equivalente 15% de toda potência eólica instalada hoje no Brasil.

Presente no mercado brasileiro desde 2000, a Vestas ajudou a transformar os ventos na segunda mais importante fonte de geração de eletricidade no país. A marca foi alcançada no primeiro semestre deste ano, quando a energia eólica passou a responder por 9,2% da matriz energética brasileira, à frente da biomassa, que abastece as usinas termelétricas, com 9%.

A Vestas foi uma das empresas que integraram a programação da segunda edição do Scandinavian Day, realizado no último dia 6 de novembro (saiba como foi o evento). Jonathan Colombo, gerente de Relações Institucionais da companhia dinamarquesa, contou como o projeto da nova fábrica integra os esforços de disseminar a cultura do uso de fontes renováveis no país.

(Foto: Carlos Gibaja)