Preloader

Escandinávia e Brasil

Scandinavian Day: como a democracia escandinava pode nos inspirar

quinta-feira, 31 de outubro de 2019
Scandinavian Day: como a democracia escandinava pode nos inspirar

Os países escandinavos têm algumas das democracias mais sólidas do mundo. Segundo o ranking Democracy Index, elaborado pela unidade de pesquisas da revista britânica The Economist, Noruega, Islândia e Suécia são, nessa ordem, os países mais democráticos do planeta. No mesmo levantamento, Dinamarca e Finlândia aparecem em quinto e oitavo lugares, respectivamente.

SCANDINAVIAN DAY 2019 - DIA 6 DE NOVEMBRO
- Clique para saber mais sobre o evento e se inscrever

Essa solidez tem relação direta com a livre circulação de ideias e o acesso a informação e cultura. Não é mera coincidência que os países da região ocupem, por exemplo, quatro das cinco primeiras posições do ranking de liberdade de imprensa, elaborado pela organização Repórteres sem Fronteiras: a Noruega é a líder global nesse comparativo, seguida por Finlândia (2º), Suécia (3º) e Dinamarca (5º).

Em outro atestado de força dos pilares democráticos, a pesquisa Digital News Report, do Reuters Institute, aponta a Finlândia - tida como referência global em educação - como o país em que as pessoas mais confiam mais na imprensa. Nesse levantamento, que avaliou 38 nações, a Dinamarca aparece em terceiro lugar.

Ao longo deste ano, o Scandinavian Way apresentou essas e outras evidências da força das democracias escandinavas. Em maio, o Scandinavian Way mostrou também a análise feita pelo Instituto V-Dem de que o Brasil está vivendo uma "erosão democrática", em parte devido a "ataques contra o pluralismo da imprensa, academia e liberdade cultural". Ligado à Universidade de Gotemburgo, na Suécia, o instituto reúne o maior banco de dados sobre democracias no mundo.

É possível usar a experiência dos escandinavos como inspiração para fortalecer nossa democracia? Essa é a proposta do painel "Informação, Cultura e Democracia", um dos quatro que integram a programação do Scandinavian Day 2019. A segunda edição do evento, que será realizada na próxima quarta-feira, dia 6 de novembro, tem como tema central "Valores e Negócios: A Experiência Escandinava" (clique aqui para conhecer a programação completa).

Mais do que apresentar os contrastes entre as realidades de brasileiros e escandinavos, o Scandinavian Day pretende inspirar pesquisadores, pensadores e líderes dos setores público e privado. Veja a seguir os integrantes do painel "Informação, Cultura e Democracia", programado para ocorrer logo depois da abertura do evento, a ser feita pelo embaixador da Finlândia no Brasil, Jouko Leinonen.

ANDRÉ PALME
Country manager no Brasil da empresa sueca Storytel

André Palme é country manager da Storytel, com 14 anos de experiência em desenvolvimento e gestão de negócios, universo digital e inovação nas áreas editorial cultural e entretenimento. Foi o primeiro embaixador do Business Club da Feira do Livro de Frankfurt no Brasil, além de palestrante em feiras nacionais e internacionais.

GUILHERME FRANCE
Coordenador de pesquisa da Transparência Internacional

Guilherme France é advogado, formado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), e bacharel em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. É também mestre em Direito Internacional pela UERJ e mestre em História, Política e Bens Culturais pela Fundação Getulio Vargas.
France é especialista em normas internacionais e sua disseminação, com ênfase naquelas relacionadas ao combate da corrupção, lavagem de dinheiro e terrorismo. Trabalha também como pesquisador em projetos relacionados ao combate da corrupção no Centro de Justiça e Sociedade da FGV Direito Rio.

MADS BJELKE DAMGAARD
Professor e pesquisador da Universidade de Copenhague

O cientista social Mads Bjelke Damgaard é PhD e atua no Departamento de Estudos de Inglês, Alemão e Românticos da Universidade de Copenhague, na Dinamarca. Ele já trabalhou na University of Southern Denmark e no Departamento de Estudos Culturais e Regionais, Seção Ciência das Religiões, da Universidade de Copenhague. Quando morou no Rio de Janeiro e em Brasília, foi PhD fellow na Universidade de Brasília e colaborou com Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública (Lemep), da UERJ. Seu trabalho inclui publicações sobre corrupção e o Brasil na revista Brasiliana, baseada no King's College of London, e na revista Ephemera - Theory & Politics in Society. Em 2018, ele lançou o livro Media Leaks and Corruption in Brazil: The Infostorm of Impeachment and the Lava-Jato Scandal. Damgaard participará do Scandinavian Day de forma remota.

SCANDINAVIAN DAY 2019 - CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO E INSCREVA-SE