Preloader

Sociedade

Inspirado nos lapões, ‘Frozen’ agora falará a língua desses povos

terça-feira, 24 de setembro de 2019
Inspirado nos lapões, ‘Frozen’ agora falará a língua desses povos

Uma das animações de maior sucesso da história do cinema tem elementos da cultura escandinava em seu DNA. Frozen: Uma Aventura Congelante, de 2013, faturou US$ 1,2 bilhão em todo o mundo, a segunda maior receita nas bilheterias de um longa de animação registrada até hoje (em 2019, a nova versão de O Rei Leão assumiu a liderança nesse ranking). Frozen 2, que estreia no Brasil no dia 2 de janeiro de 2020, pretende retribuir a inspiração escandinava ao fazer com que os personagens do filme também falem a língua dos lapões, os povos nativos que vivem ao norte de Noruega, Suécia e Finlândia e também no extremo noroeste da Rússia.

O Walt Disney Animation Studios anunciou que a produção de Frozen 2 incluirá uma versão dublada no idioma conhecido como sámi do norte, uma das nove das chamadas línguas lapônicas ainda vivas. Estima-se que cerca de 15 mil pessoas falem a língua, número que representa mais de 75% de todas as pessoas que falam uma das versões das línguas lapônicas. Esses indivíduos estão espalhados pelo norte da Noruega, Suécia e Finlândia.

LEIA TAMBÉM:
Um guia com as melhores séries escandinavas disponíveis na Netflix
Dinamarca prescreve "vitamina de cultura" para tratar depressão
O cinema dinamarquês é um dos mais premiados do mundo na atualidade. Qual o segredo?

"Para todos os nossos filmes na Disney Animation, a pesquisa é crucial para a construção de mundos que são de fantasia, mas críveis, com os quais se possa ter identificação. No início da criação de Frozen 2, nossa equipe de filmagem embarcou em uma viagem de pesquisa à Islândia, Noruega e Finlândia. Ficamos profundamente comovidos com muitos dos lugares que visitamos e as pessoas que conhecemos, incluindo uma visita aos Sámi”, disse Peter Del Vecho, produtor do filme.

Viagens do gênero já haviam sido determinantes para a elaboração do roteiro e o desenvolvimento de elementos visuais do primeiro filme. Na ocasião, o diretor de arte Michael Giaimo e uma série de roteiristas, animadores e especialistas das áreas de luz, som e efeitos especiais visitaram a Noruega - alguns desses profissionais fizeram até três viagens - para pesquisar in loco elementos como arquitetura e luz, além da beleza de penhascos, geleiras e fiordes. Tudo isso serviu como inspiração para a criação do longa - e para seu enorme sucesso.

Aspectos bastante próprios da cultura lapônica também serviram de inspiração para o primeiro filme. A música de abertura, Eatnemen Vuelie (do compositor norueguês Frode Fjellheim), por exemplo, incorpora um tradicional canto sámi conhecido como jojking. Roupas tradicionais e a criação de renas, atividade-símbolo dos lapões, serviram de base para a criação de Kristoff, um dos personagens centrais do filme.

A Unesco, agência da ONU para educação, ciência e cultura, declarou 2019 como o Ano Internacional das Línguas Indígenas, o que significa que a iniciativa da Disney veio em hora bastante propícia. "Estamos felizes em dar às crianças sámi a oportunidade de ver Frozen 2 em seu próprio idioma", disseram, em nota conjunta, os porta-vozes Tuomas Aslak Juuso (do Parlamento Sámi da Finlândia), Åsa Larsson-Blind (Conselho Saami), Aili Keskitalo (Parlamento Sámi da Noruega) e Per-Olof Nutti (Parlamento Sámi da Suécia).

Além do faturamento bilionário nas bilheterias, Frozen: Uma Aventura Congelante conquistou em 2014 o Oscar de melhor longa metragem de animação e o de canção original, com Let It Go, e também o Globo de Ouro de melhor animação, entre muitos outros prêmios. O novo trailer de Frozen 2 foi divulgado nesta segunda-feira (23/9). Assista abaixo: