Preloader

Meio Ambiente e Sustentabilidade

‘Usina de força’: conheça o prédio mais sustentável da Noruega

sexta-feira, 13 de setembro de 2019
‘Usina de força’: conheça o prédio mais sustentável da Noruega

A Noruega, referência global em medidas de controle das mudanças climáticas, acaba de ganhar o mais sustentável entre todos os prédios do país. Criado pelo escritório de arquitetura Snøhetta, o edifício Powerhouse Brattørkaia foi erguido em Trondheim, a terceira maior cidade norueguesa.

Um dos trunfos do edifício é sua enorme capacidade de geração de energia limpa (em inglês, "powerhouse" significa usina de força), assegurada pela instalação de 3.000 m² de painéis fotovoltaicos em sua cobertura. A produção de energia solar foi pensada não apenas com a colocação dos painéis, mas também com a escolha do local e da posição da estrutura, que asseguram a máxima exposição à luz solar possível.

LEIA TAMBÉM:
Copenhague transforma estação de tratamento de lixo em pista de esqui
Noruega terá o maior prédio de madeira do mundo
Dinamarca vai construir o maior arranha-céu da Europa Ocidental

Esses não são apenas detalhes técnicos. Trondheim fica distante da linha do Equador, o que significa que, durante o inverno, a luz do sol aparece, no máximo, durante cinco horas por dia. Este será o prédio com "energia positiva" (que produz mais eletricidade do que consome) mais ao norte do mundo.

Em média, o Powerhouse Brattørkaia gera duas vezes mais energia do que consome. Esse excedente permite, por meio de uma rede local, abastecer os edifícios vizinhos, ônibus, carros e até barcos elétricos. Sua estrutura inclui ainda sistemas de captação de água e recuperação de calor para maximizar a eficiência do prédio.

"Edifícios com energia positiva são o futuro. O mantra da indústria do design não deve ser 'a forma segue a função', mas 'a forma segue o meio ambiente'", diz, em comunicado, Kjetil Trædal Thorsen, fundador do Snøhetta, escritório de arquitetura responsável pelo projeto. "Isso significa que o design thinking de hoje deve, primeiramente, se concentrar em considerações ambientais e reduzir nossa pegada, e o projeto deve seguir essa premissa."