Preloader

Meio Ambiente e Sustentabilidade

Dinamarca será o primeiro país do mundo a banir embalagens com "químicos eternos"

quinta-feira, 5 de setembro de 2019
Dinamarca será o primeiro país do mundo a banir embalagens com

A Dinamarca será o primeiro país do mundo a proibir embalagens de alimentos que contenham os chamados "produtos químicos eternos", elementos considerados cancerígenos e causadores de outros males, como colesterol alto e redução da fertilidade. A medida passa a valer em 2020, segundo registra a CNN.

Esses produtos químicos são usados para reduzir o acúmulo de gordura e água nas embalagens de alimentos gordurosos e úmidos, como hambúrgueres e bolos. Eles são encontrados em artigos como embalagens de comida, panelas e frigideiras antiaderentes, pipocas de micro-ondas e espuma anti-incêndio.

LEIA TAMBÉM:
"Carne" de ar? Como uma startup finlandesa está transformando CO2 em alimento
Orgânicos já ocupam mais de 10% da área dedicada à agricultura na Dinamarca
Conheça a "New Nordic", a rotina alimentar que tem ocupado o espaço da dieta mediterrânea
Dinamarca está perto de viver escassez de alimentos orgânicos, diz pesquisa

Desenvolvidas pelo homem a partir da década de 40, as substâncias perfluoralquil e polifluoralquil, mais conhecidas pela sigla PFAS, são chamadas de químicos eternos porque não se decompõem no meio ambiente e levam um tempo enorme para serem eliminadas pelo corpo humano. “A meia-vida dos PFAS é de quatro a cinco anos, em média”, disse ao Huff Post o pesquisador David Andrews, doutor em toxicologia e cientista sênior do Grupo de Trabalho Ambiental. “Isso significa que, se você ingeri-los hoje, daqui a quatro ou cinco anos apenas a metade do que você ingeriu terá saído de seu corpo."

Com a nova regra, a Dinamarca passa a exigir que os sacos de papel manteiga e pipoca de micro-ondas sejam fabricados sem PFAS. "Eu não quero aceitar o risco de substâncias fluoradas nocivas (PFAS) migrarem da embalagem e entrarem em nossos alimentos. Essas substâncias representam um problema de saúde, e não podemos mais esperar pela União Europeia", disse, em comunicado, Mogens Jensen, ministro dinamarquês da Alimentação, Agricultura e Pesca. O ministro fez referência ao trabalho da Agência Europeia de Segurança Alimentar, que informa que está reavaliando os riscos que o PFAS representa para a saúde humana.

A decisão dos dinamarqueses foi celebrada entre a comunidade científica. "Parabenizamos a Dinamarca por liderar o movimento pelo consumo de alimentos mais saudáveis e esperamos que isso incentive ações semelhantes em toda a UE, nos Estados Unidos e em todo o mundo", disse à CNN Arlene Blum, do Green Science Policy Institute e do Departamento de Química da Universidade da Califórnia, Berkeley.

Há cerca de 5 mil versões diferentes dos químicos eternos. Seus usos também incluem removedores de manchas, repelentes à base de água e até algumas marcas de fio dental. A medida anunciada pelo governo dinamarquês coíbe o uso de PFAS apenas em embalagens de papel e papelão que tenham contato direto com os alimentos.