Preloader

Sociedade

Copenhague, Oslo e Helsinque estão entre as cidades mais "amigas das bicicletas"

segunda-feira, 8 de julho de 2019
Copenhague, Oslo e Helsinque estão entre as cidades mais "amigas das bicicletas"

Copenhague, Oslo e Helsinque estão entre as dez cidades mais amigáveis do mundo para quem quer andar de bicicleta. O levantamento é feito pela consultoria dinamarquesa Copenhagenize, que atualiza sua lista a cada dois anos. A edição mais recente da pesquisa é a primeira em que as capitais dinamarquesa, norueguesa e finlandesa aparecem juntas entre as dez melhores do ranking.

Assim como nas últimas duas versões da lista, Copenhague apareceu em primeiro lugar, posição mantida desde 2015, quando a cidade desbancou Amsterdã. A capital da Holanda aparece hoje na segunda posição, à frente da também holandesa Utrecht, de Antuérpia (Bélgica) e Estrasburgo (França).

LEIA TAMBÉM:
Bicicletas elétricas avançam na Dinamarca, a terra dos pedais
Até 2024, um em cada cinco finlandeses pretende se desfazer de seus carros
Sinônimo de bicicletas, Dinamarca abrirá o Tour de France em 2021
Campanha na Dinamarca sugere menos impostos para quem vai para o trabalho de bicicleta

Oslo deu um salto no ranking, passando da 19ª para a sétima posição, o que a fez ser chamada de "estrela em ascensão" no estudo. "Oslo tornou-se a capital mundial dos carros elétricos, mas até recentemente não tinha um compromisso sério com as bicicletas. Os últimos quatro anos viram a capital norueguesa dar um salto e mostrar ao mundo o que pode ser feito em poucos anos", escreveu Morten Kabell, CEO da Copenhagenize.

Helsinque também teve um avanço expressivo no levantamento nos últimos dois anos. A capital da Finlândia chegou a aparecer em 14º lugar na primeira edição, publicada em 2011, não figurou nas de 2013 e 2015 e reapareceu em 18 na edição de 2017. Na deste ano, a cidade ficou em décimo lugar. "Helsinque sempre valorizou bastante o design, mas demorou para conceber um sistema de transporte melhor", diz Kabell. "Mas, finalmente, parece agora querer recuperar o tempo e mostrar ao mundo que, mesmo com invernos frios e intensos, você pode construir uma cidade amiga da bicicleta."

A Copenhagenize ajuda governos a implementar planos de mobilidade urbana. Para elaborar seu ranking, ela avalia itens estruturais, como a presença de ciclovias e ruas calmas; culturais, como a intensidade do uso de bicicletas, e ambição, medidas políticas que as cidades tomam para fazer crescer ainda mais o uso do modal.

Bogotá, na Colômbia, que ficou em 12º lugar, é a única latino-americana na lista. O Rio de Janeiro já esteve no relatório em 2011 e 2013, mas nenhuma cidade brasileira aparece no ranking desde então.

Clique aqui e conheça o levantamento completo.