Preloader

Meio Ambiente e Sustentabilidade

Música e sustentabilidade: como o dinamarquês Roskilde Festival melhorou seus cuidados com o lixo

quinta-feira, 4 de julho de 2019
Música e sustentabilidade: como o dinamarquês Roskilde Festival melhorou seus cuidados com o lixo

Criado em 1971, o Roskilde Festival, na Dinamarca, é um dos maiores eventos de música pop realizados na Europa. Neste ano, ao longo de oito dias - a edição 2019 começou no último sábado e vai este sábado (6/7) -, o festival deve receber cerca de 130 mil pessoas, o que transforma temporariamente a cidade de Roskilde, de habituais 50 mil habitantes, na quarta mais populosa do país. E, para além das cerca de 180 atrações em sua programação, os visitantes poderão vivenciar também algumas iniciativas que tornaram o evento mais sustentável.

A cada ano, seus organizadores têm criado novas iniciativas para melhorar a destinação para o lixo produzido ao longo do festival. A maior parte dos rejeitos é levada para incineradores após a realização do evento. O material é recolhido por voluntários, que trabalham em troca de ingressos para os shows. E trabalho não tem faltado: foram 2 mil toneladas de rejeitos em cada uma das três últimas edições, o que corresponde a 10% de todo o lixo produzido pela cidade de Roskilde em um ano. Quase 15% desse volume vai para a reciclagem.

LEIA TAMBÉM:
Em novo projeto sustentável, Copenhague cria "campeonato" de recolhimento de lixo
Björk Digital: como é a mostra sobre a cantora islandesa que estreia no Brasil
Dinamarca quer que Apple, Facebook e Google paguem por novos parques eólicos

O festival também criou o Clean Out Loud, espaço de camping em que os visitantes assumem o compromisso de manter o espaço completamente limpo durante o evento - e deixá-lo limpo ao fim da maratona de shows. Como contrapartida, os organizadores asseguram um espaço para a barraca dos interessados. Outras áreas de acampamento do festival não têm essa regra.

O trabalho voluntário para o recolhimento de rejeitos e o Clean Out Loud já existem há algum tempo, mas outras iniciativas começaram a ser testadas na edição deste ano. Uma delas é a "sobretaxa" de copos descartáveis, o que, segundo se espera, deve estimular sua reutilização, e a estreia da Gentræ, empresa especializada em coleta e reutilização de madeira. 

"Quando você tem 130 mil pessoas em um só lugar, elas podem ser apresentadas a muita coisa nova", diz Sanne Stephansen, líder do programa de sustentabilidade do festival, segundo o site The Local. "E uma grande parte do trabalho é o diálogo."

E é possível engajar as pessoas em iniciativas sustentáveis quando elas estão em um lugar apenas para se divertir e esquecer um pouco de suas responsabilidades? "O Clean Out Loud mostra que a conscientização não precisa ser chata", disse ao The Local Vincent Dall, um visitante do evento. "Você pode facilmente aproveitar os shows sem precisar passar por uma pilha de lixo. Estamos nos divertindo muito - e sem nadar em latinhas de alumínio."

(Foto: Getty Images)