Preloader

Sociedade

Multicampeã: Islândia é eleita mais uma vez o país mais pacífico do mundo

sexta-feira, 14 de junho de 2019
Multicampeã: Islândia é eleita mais uma vez o país mais pacífico do mundo

Nenhum país do mundo é mais pacífico do que a Islândia - e esse status acaba de ser reafirmado na nova edição do Global Peace Index, levantamento realizado pela Economist Intelligence Unit, braço de pesquisas da revista britânica The Economist. Hegemônicos, os islandeses têm mantido a primeira posição desde a primeira edição do ranking, criado há 13 anos. Como se isso já não fosse motivo suficiente de orgulho, os dados mostram que a Islândia é hoje um país até mais pacífico do que era em 2008.

"A tranquilidade na Islândia não sofreu nenhuma deterioração no último ano", relata a pesquisa. “Na verdade, 78% dos indicadores do país seguiram inalterados, e 22% melhoraram. A queda na taxa de homicídios, o aumento no financiamento para a manutenção da paz da ONU e a diminuição do número de conflitos externos são as melhorias mais significativas no último ano.”

LEIA TAMBÉM:
No atendimento a consumidores, islandeses estão entre os "campeões do sorriso"
A Islândia sabe como acabar com as drogas entre adolescentes, mas o mundo não escuta
Na Islândia, presidente usa redes sociais para pedir à população que não jogue lixo no chão

O levantamento faz a ressalva de que a Islândia “não está imune a conflitos e instabilidades”. No entanto, segue o texto, as instituições fortes, as atitudes e as estruturas de paz que a Islândia mantém reforçaram a resiliência do país contra pequenos choques internos."

Nova Zelândia e Portugal ficaram, respectivamente na segunda e terceira posição. Entre os escandinavos, além da Islândia, a Dinamarca também aparece em posição de destaque no levantamento ao ocupar a quinta colocação. O Brasil, por sua vez, perdeu dez posições em relação a 2018 e aparece agora na 116ª colocação.

Os 163 países avaliados pelo Global Peace Index abrigam 99% da população global. Ao todo, o estudo compara 23 indicadores, como nível de militarização dos países, impacto do terrorismo, número de mortes violentas por grupos de 100 mil pessoas e até a capacidade nuclear. Cada indicador tem um peso diferente na montagem da classificação final. Os itens considerados mais importantes são os que medem as mortes em conflitos internos e externos, intensidade dos conflitos internos e relações com os vizinhos.

Clique aqui e conheça o ranking completo.