Preloader

Sociedade

Como a eleição de um rei tornou-se o Dia Nacional da Suécia

quinta-feira, 6 de junho de 2019
Como a eleição de um rei tornou-se o Dia Nacional da Suécia

Nesta quinta-feira, os suecos repetiram uma tradição que data do século XIX - mas que, curiosamente - ao menos a partir do ponto de vista do brasileiros -, apenas na década passada transformou-se em feriado nacional: o 6 de junho é o Dia Nacional da Suécia ("Sveriges Nationaldag", no original), data que marca uma pouco usual eleição de um rei.

Entre 1397 e 1523, vigorou na Escandinávia a União de Kalmar, quando Dinamarca, Noruega e Suécia uniram seus reinos sob um único monarca. Mas, em 1523, os suecos decidiram deixar a união, que era encabeçada pelos dinamarqueses. O ponto de inflexão dessa nova fase foi a eleição, pelo Parlamento, de Gustav Vasa para ser o rei da Suécia. Esse episódio histórico é considerado a fundação da Suécia moderna.

LEIA TAMBÉM:
Como uma descoberta sobre a peste negra na Suécia pode reescrever os livros de história
O voto feminino inaugurou a democracia na Suécia - e acaba de completar 100 anos
Greenspan: a resposta para os problemas de bem-estar social dos EUA está na Suécia

As primeiras celebrações da coroação de Gustav ocorreram apenas em 1916. A comemoração fez referência a uma outra, idealizada por Artur Hazelius, que fundou o museu ao ar livre Skansen, em Estocolmo, e realizou uma celebração do dia nacional no dia 6 de junho de 1890. Essa celebração, por sua vez, foi criada em homenagem à Constituição de 1809.

Por décadas, o Dia Nacional foi comemorado como Dia da Bandeira. Essa nomenclatura perdurou até 1983, quando foi alterada pelo Parlamento. Mas, mesmo reconhecida como principal data do país, ainda levaria mais de duas décadas para ela se transformar em feriado, o que ocorreu em 2005.

A metamorfose da data nacional dos suecos ganhou um novo ingrediente nos últimos anos. O 6 de junho tem sido celebrado como a data em que estrangeiros naturalizados recebem formalmente sua nova cidadania.