Preloader

Sociedade

Gin finlandês é eleito o melhor do mundo, mas ele não pode ser vendido no país

quinta-feira, 23 de maio de 2019
Gin finlandês é eleito o melhor do mundo, mas ele não pode ser vendido no país

O gin Arctic Blue Navy Strength, produzido pela empresa finlandesa Arctic Brands, foi eleito na última semana o melhor do mundo na International Spirits Competition, realizada em San Francisco, nos Estados Unidos. Mas, ao mesmo tempo em que brilha no exterior - na competição, que avaliou mais de 3 mil rótulos, o Arctic Blue Navy Strength foi eleito o melhor gin e o melhor destilado branco não-envelhecido -, a bebida enfrenta um problema que soa impensável para um produto de reconhecida qualidade: o Arctic Blue Navy Strength não pode ser comercializado em seu próprio país.

O impasse tem origem em uma interpretação controversa das regras da União Europeia, segundo a fabricante. O premiado gin chegará em breve às gôndolas da Ásia e da UE, segundo Mikko Spoof, um dos fundadores da Arctic Brands, revelou ao jornal Kauppalehti. Mas, se a empresa lançar o produto também na Finlândia, não poderá vendê-lo na UE.

LEIA TAMBÉM:
Finlândia retorna à lista dos 25 melhores destinos para investimentos do mundo
Bicampeã: Finlândia é eleita novamente o país mais feliz do mundo
Islandeses comemoram os 30 anos do fim da proibição da cerveja no país

A Autoridade Nacional Supervisora de Bem-Estar e Saúde (Valvira, na sigla em finlandês) proibiu a empresa de fazer publicidade online de seus destilados não apenas na Finlândia, mas também na UE e na Área Econômica Europeia (AEE), argumentando que os anúncios na internet poderiam ser vistos também pelos finlandeses. A decisão tem como base a lei do país que proíbe as empresas finlandesas de fazerem publicidade de bebidas de alto teor alcoólico - o teor do Arctic Blue Navy Strength é de 58,5%.

"Isso significa que não poderíamos divulgar nosso produto em nenhum país da UE ou da AEE porque a Valvira deseja proteger os consumidores finlandeses do marketing de bebidas alcoólicas", lamentou Spoof. "Parece que estamos na Coreia do Norte."

Segundo o empresário, a Arctic Brands já tem conversado com advogados e especialistas para entender melhor a ambiguidade dessa regra. "Recebemos centenas de mensagens encorajadoras não apenas dos cidadãos, mas também da indústria cervejeira e de políticos", acrescentou ele. "Recuso-me a aceitar que a interpretação restritiva da lei feita pela Valvira impeça o crescimento da nossa empresa na Finlândia."

A Arctic Brands pediu uma reconsideração à agência governamental que permita à empresa divulgar seus produtos em outros países da UE e da AEE - nem que, em um primeiro momento, não se possa vendê-los na Finlândia. "Se a Valvira mantiver as restrições, eu terei que propor ao nosso conselho de administração que a empresa se mude para outro lugar", disse Spoof. "Seria até mais fácil para nós pegar uma balsa para Tallinn (capital da Estônia) e transferir nossa sede para lá, mas não queremos fazer isso." A produção deve permanecer firme em Ilomantsi, no leste da Finlândia.

(Foto: Andres Teiss)