Preloader

Inovação

Noruega, Suécia e Finlândia estão entre os melhores países para os carros autônomos

quarta-feira, 22 de maio de 2019
Noruega, Suécia e Finlândia estão entre os melhores países para os carros autônomos

Noruega, Suécia e Finlândia estão entre os países mais bem preparados para receber os carros autônomos, segundo um levantamento realizado pela consultoria KPMG. Em uma lista com 25 nações, noruegueses, suecos e finlandeses aparecem, respectivamente, na terceira, quinta e sexta posições. A Holanda é a líder e o Brasil, o último colocado.

Para fazer a análise, a empresa leva em consideração 25 diferentes quesitos, divididos em quatro grandes temas. As regulações para veículos autônomos, programas do governo ligados a esse segmento e o quanto cada país está pronto para se adaptar, efetivamente, a essas novas tecnologias, criando leis e regras para uso, são alguns dos dados avaliados. Também são levadas em conta a infraestrutura do país, a difusão de parcerias entre indústrias e centros de pesquisa e a aceitação dos consumidores às inovações.

LEIA TAMBÉM:
Noruega será o primeiro país do mundo a recarregar táxis elétricos pelo ar
Conheça o Sion, o carro elétrico feito na Suécia que é autossuficiente e 100% reciclável
Finlândia terá ônibus autônomo em operação ainda em 2019

A abertura da Noruega a novidades na área de mobilidade é conhecida. Em março deste ano, por exemplo, as vendas de carros novos elétricos realizadas no país superaram pela primeira vez as dos modelos convencionais. Com fortes incentivos governamentais, esse mercado tem sido encarado como priortário nos esforços dos noruegueses para a redução da emissão de poluentes.

No levantamento, a Suécia, assim como a Noruega, teve sua nota mais alta no quesito "adoção de novidades tecnológicas pela população". A Finlândia, por sua vez, teve sua melhor nota no item "eficiência do sistema legal".

O Brasil ficou em último lugar em três dos quatro pilares da pesquisa (políticas e legislação; tecnologia e inovação; e infraestrutura). Na edição do levantamento publicada no ano passado, o país apareceu em 17º lugar na lista geral.

Clique aqui para conhecer o ranking completo.