Preloader

Meio Ambiente e Sustentabilidade

Noruega será o primeiro país do mundo a proibir biocombustíveis gerados por desmatamento

Noruega será o primeiro país do mundo a proibir biocombustíveis gerados por desmatamento

Em uma votação histórica, ocorrida nesta segunda-feira (3/12), o parlamento da Noruega decidiu proibir o uso no país de biocombustíveis, entre eles o à base de óleo de palma, originários de áreas de desmatamento de florestas nativas. O caráter histórico da decisão, que entrará em vigor em 2020, deve-se ao fato de a Noruega ser o primeiro país a tomar uma medida do gênero.

No ano passado, registra o jornal britânico The Independent, os noruegueses já haviam votado pela proibição do uso de biocombustível de desmatamento por parte do governo, mas a decisão nunca foi totalmente implementada porque o governo optou por recorrer à adoção voluntária.

A decisão do Parlamento ocorre após o consumo de biocombustível à base de óleo de palma ter atingido nível recorde no ano passado. O aumento deveu-se a medidas para reduzir o uso de combustíveis fósseis nos transportes.

Um relatório divulgado pela consultoria ambiental Cerulogy e pela Rainforest Foundation Norway no início deste ano mostrou que, de acordo com as atuais metas de biocombustíveis, a demanda global por óleo de palma aumentará seis vezes na próxima década.

O desmatamento em áreas de grandes produção de óleo de palma, como a Indonésia, tem sido associado ao extermínio da vida selvagem, incluindo orangotangos, e a perseguição dos povos nativos. Há também um risco climático considerável: o aumento no consumo deve gerar 7 bilhões de toneladas de emissões de CO2 nas próximas duas décadas - mais do que as emissões anuais dos EUA.

A União Europeia concordou em eliminar progressivamente os biocombustíveis que estão ligados ao desmatamento e à destruição do habitat de espécies nativas, mas não até 2030.

Foto: filhote de orangotango em Kalimantan, área de produção de óleo de palma na Indonésia

Crédito: Rhett Butler