Preloader

Meio Ambiente e Sustentabilidade

Países da Escandinávia vão unir forças para combater mudanças climáticas

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019
Países da Escandinávia vão unir forças para combater mudanças climáticas

Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia já estão entre os países mais adiantados na perseguição das metas do Acordo de Paris, um compromisso global que prevê medidas para a redução da emissão de poluentes até 2030. Agora, em um acerto local, os cinco escandinavos se comprometeram a intensificar essas medidas para acelerar o combate às mudanças climáticas.

Na declaração conjunta, os cinco países disseram querer "liderar com seu exemplo" e que promoverão esforços globais para limitar o aumento da temperatura do planeta. O grupo observou ainda que eles são capazes de "combinar sucesso econômico e bem-estar com políticas ambientais ambiciosas e desenvolvimento sustentável".

"Precisamos permitir que a indústria e os negócios nórdicos assumam um papel de liderança na transformação verde da economia global. Trabalhando juntos, podemos desenvolver tecnologias de emissões zero com implicações globais", disseram eles na declaração, assinada no último dia 25, em Helsinque, na Finlândia.

Além de soluções tecnológicas e financiamento, os países também mencionaram o ensino de alto nível e a igualdade de gênero como diferenciais escandinavos no combate às mudanças climáticas. O primeiro-ministro finlandês Juha Sipila disse à imprensa que os níveis de emissão começaram a subir novamente no ano passado e que "não nos restam muitos anos" para lutar contra essa elevação. "Temos que ser mais rápidos e fazer mais", afirmou, segundo registro da agência Xinhua.

A primeira-ministra islandesa, Katrin Jakobsdottir, declarou que, embora os políticos tenham opiniões diferentes, eles compartilham os valores nórdicos, que devem ser "a luz orientadora". Ela disse também que seu otimismo cresceu a partir da assinatura do compromisso conjunto.

Perguntada sobre o papel da Noruega como o único produtor de petróleo na região, a primeira-ministra Erna Solberg afirmou que a Noruega está mudando cada vez mais para a produção de gás natural. Ela também disse que a produção de petróleo norueguesa persegue os níveis mais baixos possíveis de emissão de poluentes. Suécia e Dinamarca foram representadas por seus ministros do meio ambiente na cerimônia de assinatura.

Após a assinatura do compromisso conjunto, agora o Conselho Nórdico de Ministros, um sistema de cooperação que em 2019 está sob a presidência da Islândia, está responsável pela elaboração da agenda de compromissos a partir da declaração anunciada em Helsinque.

(Foto: Carlos "Grury" Santos)