Norueguês será piloto do primeiro helicóptero a voar em Marte

O drone Ingenuity está a bordo do foguete Atlas V, lançado na última semana e que deve chegar a Marte em fevereiro de 2021

0
242
O helicóptero Ingenuity voará sobre a superfície de Marte recebendo comandos a partir da Terra
O Ingenuity em testes: cientista norueguês pilotará o drone a partir da Terra (Foto: divulgação)

O primeiro voo de um helicóptero sobre a superfície de Marte na história deve ocorrer em 2021 – e com um norueguês como piloto. A tarefa está sob a responsabilidade de Håvard Grip, cientista que trabalha no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, a agência espacial americana, e no Instituto de Tecnologia da Califórnia.

O helicóptero já está a caminho de Marte. Ele está a bordo do foguete Atlas V, lançado ao espaço na última quinta-feira (30/7) a partir da base do Cabo Canaveral, na Flórida. Com o Ingenuity, como o helicóptero foi batizado, foi lançado também o jipe robô (ou rover) Perseverance. A chegada a Marte está prevista para 18 de fevereiro de 2021.

O cientista norueguês Håvard Grip pilotará o helicóptero Ingenuity, enviado a Marte no dia 30/7
O cientista norueguês Håvard Grip (Foto: divulgação)

O Ingenuity tem menos de dois quilos e quatro hélices com 120 centímetros de comprimento cada uma. Grip comandará o pequeno drone a partir da Terra por meio de códigos e inteligência artificial. O controle em tempo real não é possível por causa da distância entre os planetas.

Ao longo de um mês, o Ingenuity fará cinco decolagens, e cada voo terá duração máxima de 90 segundos. Isso não reduz a complexidade da missão. Um dos desafios dos cientistas será a adaptação à densidade da atmosfera de Marte, que é de menos de 1% da terrestre. “O único critério para avaliar o sucesso da missão será se conseguirmos ou não voar sobre Marte pela primeira vez na história”, disse o cientista à agência de notícias norueguesa NTB. “Acreditamos que a probabilidade de sucesso é grande. Fizemos tudo o que era possível na fase de preparação.”

Grip é mestre e doutor pela Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia (NTNU). Criada em 1760, a instituição pública de ensino e pesquisa, que tem campi nas cidades de Trondheim, Gjøvik e Ålesund, deu ao mundo cinco vencedores do Prêmio Nobel, em três diferentes áreas: química (1968), física (1973) e medicina (2014, quando houve três ganhadores).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui