Início Meio Ambiente e Sustentabilidade  Noruega pode seguir Suécia e proibir mineração de bitcoin por questões ambientais

 Noruega pode seguir Suécia e proibir mineração de bitcoin por questões ambientais

Depois da Suécia, outro país escandinavo pode proibir a mineração de bitcoins: a Noruega. O assunto entrou em debate no país. A restrição está sendo estudada por questões ambientais: minerar criptomoedas gera um consumo muito grande de energia, em um momento em que os países tentam cumprir as metas do acordo de Paris sobre redução de emissões de gases do efeito estufa.

“Embora a mineração de criptografia e sua tecnologia subjacente possam representar alguns benefícios possíveis a longo prazo, é difícil justificar o uso extensivo de energia renovável hoje”, disse o ministro do desenvolvimento regional da Noruega, Bjørn Arild Gram, em uma entrevista recente.

A mineração de bitcoin é o processo que faz novos bitcoins entrarem em circulação. Além disso, também é o que mantém segura a blockchain, rede que registra as transações com a criptomoeda por meio da criptografia.

Na blockchain, cada “bloco” registra as informações de uma transação, e todos os blocos são conectados em cadeia, em ordem cronológica. Os mineradores trabalham para verificar a validade das informações de um novo bloco, checando se a transação com a criptomoeda ocorreu da forma que deveria. Para isso, precisam de computadores muito potentes, conectados 24 horas por dia.

Os noruegueses não escondem que estão se inspirando no modelo do vizinho: “No momento, estamos considerando possíveis medidas de política a fim de enfrentar os desafios relacionados à mineração de criptografia. No contexto deste trabalho, examinaremos as soluções propostas pelos reguladores suecos, e nosso objetivo seria regulamentações europeias comuns nesta área”, afirmou Arild Gram.

Reguladores suecos, de áreas financeira e do meio ambiente, começaram uma cruzada para tentar banir a mineração de criptomoedas de todo o continente europeu. O forte aumento do consumo de energia no velho continente é associado, em parte, à mineração de criptomoedas.

Países nórdicos estavam atraindo uma grande quantidade de mineradores de criptomoedas devido aos avanços que os países da região já estão fazendo em energia renovável. Contudo, reguladores e ambientalistas temem que a atividade pode aumentar o consumo de energia em ritmo maior que a expansão das fontes verdes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia também

O presidente finlandês Sauli Niinistö com o americano Donald Trump: a Finlândia proclamou sua independência da Rússia há mais de um século

“A Finlândia é parte da Rússia?” Livro revela pergunta de Trump

0
Donald Trump certa vez perguntou a seu chefe de gabinete se a Finlândia fazia parte da Rússia - e isso quando o presidente dos...
- Publicidade -