Início Sociedade Noruega espera um 2022 com maior número de ataques cibernéticos

Noruega espera um 2022 com maior número de ataques cibernéticos

Com o mundo cada vez mais conectado e a vida migrando para os sistemas on-line, também aumenta o volume de ataques cibernéticos. No Brasil, 2021 foi marcado por um grande número de ataques a sistemas do governo e grandes redes de varejo, casos do DataSUS que comprometeu as informações sobre vacinação e dados de Covid-19. Na Noruega, os especialistas em segurança on-line já alertam para um 2022 repleto de ataques cibernéticos no país nórdico.

Empresas como Nortura e Amedia recentemente recentemente atingidos por sérios ataques cibernéticos na Noruega. Um especialista em segurança da Telenor acha que as coisas devem piorar e somente depois de uma série de medidas para contenção desses ataques devem melhorar.

“É improvável que vejamos uma melhora no próximo ano. Provavelmente vai piorar antes de melhorar ”, disse Gunnar Ugland, chefe do centro de segurança da Telenor.

Ugland disse ainda que esses ataques podem, em última análise, representar um risco à vida e à saúde se os atacantes visarem, por exemplo, suprimentos de energia ou hospitais.

“Isso pode se tornar muito sério”

Odin Johannessen, diretor do Conselho de Segurança Empresarial da Noruega, avalia que os cibercriminosos estão se tornando cada vez mais ativos.

“O fato de ter aumentado tão drasticamente em escopo é muito sério”, disse Johannessen.

“Isso ameaça toda a forma como administramos nossa sociedade e administramos nossos negócios. Somos totalmente digitalizados. Quando conseguem impedir a publicação de jornais, vemos evidências de que as consequências podem ser muito significativas, tanto para a sociedade como para as empresas individuais ”, afirmou.

O ano de 2021 foi de consolidação das ameaças em relação a ataques cibernéticos: nunca foram tão frequentes, impactantes e sofisticados. Houve vazamento de informações sigilosas, sequestro de dados, invasões de sistemas e muito dinheiro perdido.

Segundo a consultoria alemã Roland Berger, as perdas globais podem ter chegado a U$ 6 trilhões no ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia também

O presidente finlandês Sauli Niinistö com o americano Donald Trump: a Finlândia proclamou sua independência da Rússia há mais de um século

“A Finlândia é parte da Rússia?” Livro revela pergunta de Trump

0
Donald Trump certa vez perguntou a seu chefe de gabinete se a Finlândia fazia parte da Rússia - e isso quando o presidente dos...
- Publicidade -