Início Turismo e Cultura Noruega vai demolir prédio com murais de Picasso, mas salva obras

Noruega vai demolir prédio com murais de Picasso, mas salva obras

O mestre espanhol criou seus primeiros murais em concreto no edifício Y-Block, abalado por um atentado terrorista ocorrido em 2011

A Noruega autorizou nesta semana a demolição de um prédio na região central da capital, Oslo, depois de quase nove anos de impasse. Defensores do patrimônio histórico e arquitetônico do país ainda tentam reverter a decisão, mas ao menos uma parte dos itens que tornam o edifício valioso será salva: dois murais criados pelo mestre espanhol Pablo Picasso.

Segundo as autoridades, a demolição é necessária porque a estrutura do prédio está comprometida desde o atentado terrorista de julho de 2011, que matou oito pessoas. O governo pretende realocar ambos os murais e demolir o prédio como parte de um projeto que prevê usar o espaço para escritórios públicos.

Inaugurado em 1969, o Y-Block é considerado um dos principais representantes da arquitetura modernista no país. Picasso uniu-se ao artista norueguês Carl Nejar durante a construção para trabalhar nos desenhos dos murais ao ar livre, entre os quais se destaca O Pescador, que mostra três indivíduos sobre um barco capturando peixes. Em um artigo de 2013, a BBC informou que as obras foram “as primeiras tentativas de Picasso em murais de concreto“.

Inspiração em Niemeyer

O Y-Block foi projetado pelo arquiteto norueguês Erling Viksjø, expoente do modernismo, que se inspirou no edifício das Nações Unidas, em Nova York. A estrutura da ONU foi criada por uma equipe de arquitetos liderada pelo escritório americano Harrison & Abramovitz. Este, por sua vez, desenvolveu o projeto a partir das propostas apresentadas pelo francês Le Corbusier e o brasileiro Oscar Niemeyer.

Embora o governo da Noruega tenha prometido salvar os murais, grupos de preservação, ativistas e políticos têm criticado a decisão; esses opositores argumentam que o Y-Block é tão importante quanto as obras de Picasso. O complexo (formado também pelo H-Block, que não será demolido) chegou a entrar em processo de tombamento como patrimônio histórico, o que poderia manter o edifício de pé.

O aval para a demolição foi dado na última quarta-feira (4/3), mas ainda não há data para  o serviço. Em paralelo, um abaixo-assinado online tenta aumentar a pressão para evitar a derrubada. A petição já tem mais de 28 mil assinaturas. A meta é chegar a 35 mil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia também

direito ao esquecimento bandeira da Suécia

“Direito ao esquecimento” faz Google levar multa recorde na Suécia

0
Na última semana, o descumprimento do chamado "direito ao esquecimento" fez o Google levar uma multa sem precedentes na Suécia. Com base em uma...
- Publicidade -