Um guia de museus nórdicos para visitas virtuais na quarentena

Selecionamos 12 mostras virtuais de museus da região para que seu combate ao coronavírus seja sinônimo de cultura, e não (só) de WhatsApp

0
3866
museus virtuais nórdicos o grito
Clássico na lupa: o quadro "O Grito", do norueguês Edvard Munch, pode ser visto em detalhes - e sem perder a nitidez - no acervo digital do Museu Munch

Você está ficando sem ideias de como encarar o isolamento social necessário para conter o avanço do coronavírus? Que tal, então, aproveitar a quarentena para conhecer acervos virtuais de alguns dos melhores museus nórdicos dedicados a temas como arte, história e arquitetura, todos ao alcance de um clique?

O Scandinavian Way elaborou uma lista exclusiva de museus nórdicos que contam com exposições virtuais. Algumas das sugestões a seguir integram o Google Art Project, uma colaboração entre a empresa de tecnologia e museus de todo o mundo. Mas a seleção não se limita às opções do projeto. Ela traz também mostras virtuais que alguns museus criaram especialmente para quem ficará em casa por causa da pandemia da covid-19.

Guia de visitação: nos nomes dos museus abaixo estão links que levam diretamente às mostras sugeridas, enquanto os nomes dos países direcionam para a lista geral de exposições de cada país disponível no Google Art Project. Importante: esta não é uma seleção dos “melhores” museus. A ideia foi equilibrar opções relevantes em campos distintos, como artes plásticas, história, fotografia, design e arquitetura. É possível encontrar mais opções, igualmente ricas, clicando nos nomes de cada país na lista abaixo.

Nossa sugestão: saia um pouco do WhatsApp e das redes sociais. Em vez disso, aproveite seu tempo com doses de cultura, história e informação. Muito mais enriquecedor, não concorda?

SUÉCIA
painel street art suécia telmomiel
Painel “As aventuras de Nils Holgersson”, do duo TelmoMiel, que integra a mostra sobre o festival de arte de rua de Borås
  • Museu Nacional de Ciência e Tecnologia: o Tekniska, nome original do museu, tem uma exposição virtual sobre a vida e a obra de Christopher Polhem, considerado o pai da tecnologia sueca. Em tempos em que muita gente acha que pesquisas científicas podem ser contestadas com memes, nunca é demais reafirmar: é com estudo e ciência que a humanidade avança.
  • Mostra Pais Suecos: a exposição reúne fotografias que apresentam a abordagem sueca da paternidade e o envolvimento dos homens do país na criação dos filhos. O trabalho é do fotógrafo Johan Bävman, radicado em Malmö. A quarentena reforça a necessidade de divisão das tarefas domésticas. Visite e inspire-se.
  • Sem Limite – Arte de Rua: essa coletânea reúne fotos e vídeos de três diferentes edições do No Limit, um festival de arte de rua da cidade sueca de Borås. Não é porque você não pode sair de casa no momento que não pode ver boa arte de rua. Quando a quarentena acabar e as viagens internacionais se normalizarem, que tal ir lá ver esses murais pessoalmente?
NORUEGA
barco viking noruega museu oseberg
Visão parcial do navio Oseberg, uma das atrações do Museu do Barco Viking, que pode ser visto com riqueza de detalhes no tour virtual
  • Museu Munch: Edvard Munch é o pintor norueguês mais conhecido fora do país, e seu quadro mais famoso, O Grito, uma das pinturas mais famosas do mundo. Mas o artista produziu outras obras que retratam as inquietações da humanidade, a qualquer tempo. As incertezas e a aflição da pandemia causada pelo coronavírus, por exemplo, até parecem ter inspirado Ansiedade (1894), quadro que está na exposição online do museu.
  • Museu Internacional de Arte Infantil: quem tem filhos pequenos e está com eles em casa na quarentena vai se identificar com os desenhos e pinturas, produzidos por crianças de mais de 180 países. Vale visitar com os pequenos para que eles se inspirem para suas próximas atividades. Afinal, até celulares, tablets e TV têm que descansar um pouco.
  • Museu do Barco Viking: integrado ao Museu de História e Cultura, da Universidade de Oslo, o Museu do Barco Viking reúne artigos usados pelo povo que dominou a Escandinávia entre os séculos 8 e 11. As grandes estrelas do acervo são os navios Oseberg, Gokstad e Tune, considerados os três mais bem preservados barcos vikings que existem. A nitidez da visita virtual impressiona. As imagens em 360 são tão nítidas que é possível ver em detalhes as rachaduras dos cascos dos barcos e até ler as placas explicativas nas paredes. Boa atração para quem é fã do universo relacionado aos lendários navegadores escandinavos.
ISLÂNDIA
Islândia foto história
Foto que integra a mostra “O Garoto de Djúpivogur”, do Museu Técnico do Leste da Islândia
  • Museu Técnico do Leste da Islândia: aberto na cidade de Seyðisfjörður em 1984, o museu reúne itens históricos que contam como as inovações tecnológicas transformaram essa região do país entre os séculos 19 e 20. O engenheiro e empreendedor Jóhann Hansson é o tema da coleção O Garoto de Djúpivogur. Hansson é um dos pioneiros da engenharia mecânica no país que hoje está na vanguarda das pesquisas sobre o novo coronavírus. O Scandinavian Way contou essa história neste link.
FINLÂNDIA
Quadro-Eero-Järnefelt
Detalhe de “Sob o jugo (queimando o matagal)”, obra do pintor finlandês Eero Järnefelt que está na mostra virtual do Ateneum
  • Ateneum: o museu reúne a maior coleção de arte da Finlândia. Seu acervo conta com obras de alguns dos ícones das artes plásticas do país, como Albert Edelfelt, pintor que tinha entre seus fãs o holandês Vincent Van GoghTransportando um caixão de criança, que Edelfelt pintou em 1879, é um dos que estão no Google Art Project. O quadro tem particular magnetismo em tempos de pandemia.
  • Amos Rex: inaugurado em 2018, o museu, o mais novo desta lista, deixou material para seus visitantes refletirem na quarentena. O site do museu pôs no ar alguns vídeos de Tempos absurdos: mostra de arte da geração 2020, exposição com nome bastante propício para o momento atual. “Você não precisa deixar de apreciar arte só porque o museu está fechado”, diz o texto no site do Amos Rex.
DINAMARCA
Museu Thorvaldsens Dinamarca
Registro do tour virtual pelos corredores do Museu Thorvaldsens
  • Museu Thorvaldsens: aberto em 1848, o museu – que reúne quase todos os trabalhos originais do escultor Bertel Thorvaldsen – é o mais antigo da Dinamarca. Ele é um dos que oferecem a opção de tour virtual (link acima) no projeto do Google. Vale usar o computador para percorrer os salões e corredores daquele que é amplamente considerado um dos museus mais bonitos do país.
  • Museu Nacional de Arte da Dinamarca: com uma coletânea de quase 260 mil itens, o SMK, sigla pela qual o museu é conhecido, montou seu acervo a partir de coleções de arte de representantes da monarquia dinamarquesa. Algumas dessas peças estão expostas no Google Art Project, onde também é possível fazer o tour virtual. Ainda que haja essa opção, o Scandinavian Way sugere uma visita à coletânea que está no site do museu, disponível no link acima. Ela tem milhares de itens e foi montada como opção de passeio virtual durante a quarentena do coronavírus.
  • Visit Copenhagen: para tentar conter o avanço do coronavírus, a Dinamarca fechou suas fronteiras. Enquanto o país não reabre suas portas para o mundo, é possível conhecer uma pequena amostra das atrações da capital, Copenhague. A Visit Copenhagen, agência de promoção turística da cidade, criou duas coleções temáticas, que podem ser visitadas virtualmente. Uma delas reúne fotos de exemplares modernistas da arquitetura da capital; a outra é sobre Arne Jacobsen, um ícone internacional da arquitetura e do design. Fotos, textos e vídeos das obras de Jacobsen apresentam, entre outros trabalhos, as poltronas Cisne e Ovo, duas das mais conhecidas representantes do design dinamarquês (e, por extensão, do design escandinavo) do século 20.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui