Início Escandinávia e Brasil Megafundo norueguês decide vetar aportes em Vale e Eletrobras

Megafundo norueguês decide vetar aportes em Vale e Eletrobras

Rompimentos de barragens da mineradora e problemas sociais na usina de Belo Monte fizeram fundo soberano excluir as empresas de seus investimentos

As mineradora Vale e a Eletrobras, que atua em geração, transmissão e distribuição de energia, já não estão mais entre os investimentos do fundo soberano da Noruega – que, com patrimônio de cerca de US$ 1 trilhão, é o maior do gênero no mundo. Ambas foram excluídas do portfólio do fundo, responsável por administrar os recursos gerados pelo petróleo do país. A exclusão foi anunciada nesta quarta-feira (13/5) em Oslo, um dia depois de a decisão ter sido tomada.

O Norges Bank Investment Management (NBIM), nome oficial do fundo, retirou a Vale de sua lista de investimentos por causa das tragédias ambientais protagonizadas pela mineradora nos últimos anos. No comunicado, o fundo relembra os desastres nas cidades mineiras de Mariana e Brumadinho, ambos causados por rompimentos em barragens de rejeitos. Em Mariana, o rompimento de uma barragem da Samarco (empresa controlada pela Vale e pela BHP Billiton) matou 19 pessoas em novembro de 2015. Na tragédia de Brumadinho, ocorrida em janeiro do ano passado, foram 237 mortes.

A Eletrobras entrou na lista de vetos do fundo soberano da Noruega em virtude da violação de direitos humanos durante o desenvolvimento da hidrelétrica de Belo Monte, de acordo com o informe sobre a decisão. “Muitos territórios indígenas foram severamente afetados pelo projeto [que] também desalojou pelo menos 20 mil indivíduos, incluindo pessoas (…) que costumavam morar em ilhas e regiões ribeirinhas que agora estão submersas.”

Riqueza para as próximas gerações

A exclusão de Vale e Eletrobras ocorreu quase um ano depois de o conselho de ética do fundo ter recomendado a retirada de ambas do portfólio. No caso da mineradora, a exclusão foi sugerida no dia 12 de junho de 2019; e, no da empresa de energia, um pouco antes, em 27 de maio. No fim do ano passado, o fundo tinha US$ 375 milhões em ações da Vale, o equivalente a 0,54% do capital total da empresa. Os papéis da Eletrobras equivaliam a US$ 52 milhões (0,41% da companhia).

Criado no início dos anos 90, o fundo tem como principal missão garantir que a riqueza gerada pelo petróleo fique também para as próximas gerações. Já faz mais de uma década que o fundo passou priorizar investimentos em empresas altamente comprometidas com a sustentabilidade.

Depois de encerrar 2019 com um patrimônio recorde de US$ 1,2 trilhão, o fundo diminuiu um pouco de tamanho no primeiro trimestre de 2020. Em 31 de março, sob o efeito da crise do coronavírus, seus ativos somavam cerca de 10 trilhões de coroas, ou perto de US$ 1 trilhão. Os investimentos no Brasil eram de US$ 9,6 bilhões no fim do ano passado. Desse bolo, US$ 7,6 bilhões estavam em ações e US$ 2 bilhões em renda fixa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia também

direito ao esquecimento bandeira da Suécia

“Direito ao esquecimento” faz Google levar multa recorde na Suécia

0
Na última semana, o descumprimento do chamado "direito ao esquecimento" fez o Google levar uma multa sem precedentes na Suécia. Com base em uma...
- Publicidade -