Finlândia é a nova estrela das produções internacionais de cinema e TV

0
222

Historicamente, a Finlândia nunca teve o mesmo apelo como locação para produções internacionais de cinema e televisão de alto nível que as vizinhas Noruega e Suécia ou mesmo a Islândia – que, entre muitos outras produções de prestígio, foi cenário nos últimos anos da série de sucesso Game of Thrones, do canal HBO. 

Mas isso pode estar mudando, segundo informa a revista The Hollywood Reporter. Com uma combinação de fatores que inclui instalações de alta tecnologia, mão de obra mais barata que em outros países e um programa de incentivos fiscais criado para atrair produções televisivas e cinematográficas de ponta, os finlandeses entraram de vez no radar da indústria.

Lançado em 2017, o programa de incentivo fiscal oferece um reembolso de 25% sobre os impostos pagos por gastos realizados na Finlândia. Por ano, os desembolsos feitos por meio desse instrumento somam € 10 milhões (ou o equivalente a R$ 42 milhões). Em 2019, o programa chega a seu terceiro e último ano em fase experimental, mas já há expectativa de que ele seja não apenas prorrogado, mas também reforçado com mais recursos (a demanda foi tanta que, em 2017 e 2018, o teto de € 10 milhões foi alcançado em meados do ano).

As séries de TV estão entre as principais beneficiárias do programa. Os thrillers policiais Bullets e (na fotoArctic Circle (ambas produções conjuntas entre Alemanha e Finlândia) estão entre as produções de alto nível que utilizaram o instrumento. A lista inclui ainda a série de animação em 3D Moominvalley, uma produção de US$ 25 milhões baseada nos livros infantis do autor finlandês Tove Jansson, bastante populares no país. Em sua versão britânica, a série é dublada por estrelas como Kate Winslet, Rosamund Pike, Jennifer Saunders e Taron Egerton. Moominvalley é a série de TV mais cara já produzida no país, segundo a emissora pública de notícias YLE.

"O incentivo foi absolutamente essencial para que o projeto fosse feito aqui", disse à The Hollywood Reporter Marika Makaroff, que produziu Moominvalley por meio da produtora Gutsy, de Helsinque. “Mais de 60% da produção foi feita na Finlândia. Isso seria impossível sem o crédito de imposto." A animação infantil entreia no país no fim deste mês e no Reino Unido em abril.

Claro que o impulso dado pelo incentivo fiscal não funcionaria sem boas locações – e isso a Finlândia oferece não apenas em quantidade, mas também em variedade. Além da arquitetura histórica da capital, Helsinque, há ainda cerca de 100 mil lagos, 32 mil quilômetros de costa e uma área gigantesca de florestas intocadas – além, é claro, da neve. "Nós temos 200 dias de neve por ano. Se é de neve que você precisa, nós temos", diz Anni Wessman, chefe da área internacional da associção de produtoras finlandesas APFI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui