Em projeto sustentável, Copenhague terá bairro todo de madeira

Fælledby, que ficará em um antigo lixão, terá 40% de sua área ocupada por reflorestamento e até abrigos para pássaros e pequenos animais selvagens

0
244
As obras no bairro de madeira de Copenhague ainda não começaram, mas o reflorestamento da área já está em andamento

Copenhague, considerada uma das cidades mais sustentáveis do mundo, não tem se contentado com as conquistas alcançadas até aqui. A capital dinamarquesa reforça a mensagem de que os esforços para a busca da sustentabilidade têm que se renovar constantemente – e, com a criação de um bairro todo de madeira, em uma área que já foi usada como lixão, a cidade dá mais um exemplo dessa mentalidade.

Batizada de Fælledby, a área residencial terá capacidade para abrigar até 7 mil moradores. O projeto foi desenvolvido pelo escritório de arquitetura Henning Larsen, um dos mais renomados da Dinamarca. O escritório ficou encarregado de criar o conceito da nova vizinhança ao vencer uma concorrência nacional de design lançada pela By & Havn, incorporadora imobiliária que pertence à prefeitura de Copenhague e ao governo dinamarquês.

LEIA TAMBÉM:
– Copenhague transforma estação de tratamento de lixo em pista de esqui
– Noruega inaugura o maior prédio de madeira do mundo
– Como a Finlândia fabrica roupa com madeira usada

A sustentabilidade está no DNA do novo bairro desde antes de ele começar a ganhar forma nas pranchetas e telas dos arquitetos do Henning Larsen, já que, para o projeto, a By & Havn escolheu um terreno da periferia de Copenhague que já foi usado como um lixão. Dos 18 hectares de área – equivalente a 25 campos de futebol – que o bairro terá, 40% serão ocupados por reflorestamento.

Signe Kongebro, sócia do escritório Henning Larsen, explica que a decisão de construir em madeira foi tomada para reduzir o impacto ambiental em uma área historicamente frágil. “Para nós, Fælledby será a prova de que um novo modelo de vida mais sustentável é possível e viável”, afirma ela.

Animais selvagens

Mas, para além de suas casas e edifícios de madeira, Fælledby terá ainda outras estruturas pouco usuais em áreas residenciais de grandes cidades. O projeto foi desenvolvido em parceria com a MOE, empresa que presta consultoria em construção e infraestrutura e é especializada em projetos sustentáveis. A equipe de biólogos e engenheiros ambientais da MOE prevê, por exemplo, abrigos para pássaros e pequenos animais selvagens, como morcegos. Jardins com flores, chamariz para abelhas e borboletas, também integram o projeto, que terá até uma lagoa para sapos e salamandras.

Segundo os arquitetos, o novo bairro pretende mesclar características urbanas com formas mais comuns em áreas rurais da Dinamarca. Fælledby será construído em etapas, evoluindo de dentro para fora a partir de três pequenos “núcleos”. Enquanto os moradores não chegam, a equipe da MOE já trabalha no projeto de reflorestamento da área.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui