Início Sociedade Dinamarca revela megaprojetos de infraestrutura em plena pandemia

Dinamarca revela megaprojetos de infraestrutura em plena pandemia

Depois de aprovar obras do túnel que ligará o país à Alemanha, Dinamarca anuncia construção de duas ilhas de geração de energia eólica

Em um intervalo de menos de um mês, e em plena pandemia, a Dinamarca confirmou investimentos em dois megaprojetos de infraestrutura que, somados, consumirão o equivalente a mais de R$ 120 bilhões. Eles devem reforçar as medidas do país para fortalecer sua economia, afetada pela crise do coronavírus.

O projeto mais recente, anunciado na última quarta-feira (20/5), é de uma área cara aos dinamarqueses: energia limpa. A Dinamarca pretende criar duas “ilhas de energia” para instalar nelas torres parques eólicos. O projeto ainda precisa ser ratificado pelo Parlamento, mas será bancado, em grande parte, por investidores privados – com pouco, ou nenhum, subsídio estatal.

Segundo o ministro do Clima e Energia, Dan Jorgensen, o custo do projeto deve ficar na casa dos três dígitos de bilhão de coroas; hoje, 100 bilhões de coroas equivalem a R$ 81,5 bilhões. Cada um dos parques poderá gerar no mínimo 2 GW, energia suficiente para abastecer os lares de 4 milhões dos 5,8 milhões de dinamarqueses.

Uma das estruturas ficará na ilha de Bornholm, no Mar Báltico dinamarquês. A outra, no Mar do Norte, será instalada em uma ilha artificial, a primeira do mundo a ser construída para abrigar um parque de geração de energia eólica.

Túnel Dinamarca-Alemanha

Antes da revelação do projeto de energia eólica, o Parlamento já havia aprovado, no dia 24 de abril, o início da construção do túnel submarino que ligará os territórios dinamarquês e alemão. As obras receberão investimento 52,6 bilhões de coroas (R$ 42,8 bilhões) no lado dinamarquês e começarão em 1º de janeiro do ano que vem.

O projeto é antigo (relembre aqui), mas passou por sucessivos adiamentos ao longo dos anos – o último deles foi a pandemia. A infraestrutura do túnel, que ficará sob o estreito do Mar Báltico entre Dinamarca e Alemanha, terá extensão total de 18km, com quatro pistas para automóveis e duas linhas para trens elétricos.

Segundo comunicado distribuído pelo Ministério dos Transportes da Dinamarca, o projeto será concluído em 2029. As obras do lado dinamarquês começarão em janeiro do próximo ano, mas, do alemão, o cronograma prevê início apenas em meados de 2022.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia também

“Scandinavian Way” é finalista nos EUA do prêmio PR Daily Awards

0
O Scandinavian Way é um dos finalistas do prêmio internacional PR Daily Awards, criado para identificar os melhores projetos do mundo nas áreas de...