Início Inovação “Aço verde” já começa a virar realidade na Suécia e redução de...

“Aço verde” já começa a virar realidade na Suécia e redução de CO2 pode chegar a 10% no país

A empresa sueca Hybrit, uma joint venture entre SSAB, LKAB e Vattenfall, fez a primeira entrega de “aço verde” nas últimas semanas. O material, antes produzido a partir de carvão, passará a ser processado de energia renovável ou hidrogênio. A primeira remessa de uma amostra do produto sustável foi feita a Volvo para dar início à produção em 2021 de veículos protótipos e componentes do aço verde, antes da produção comercial completa em 2026. 

Atualmente o processamento de aço com o uso do carvão mineral responde por 8% das emissões globais de gases de efeito estufa. Com o início das operações de teste em sua planta piloto de aço verde em Lulea, norte da Suécia, há um ano, a Hybrit  espera contribuir de forma mais efetiva para a mudança desse cenário.

Durante o mês de julho, a SSAB Oxelösund laminou com sucesso o primeiro aço produzido com tecnologia Hybrid, ou seja, reduzido em 100% de hidrogênio em vez de carvão e coque. 

“A indústria e especialmente a indústria do aço criam grandes emissões, mas também são uma parte importante da solução. Para conduzir a transição e se tornar o primeiro estado de bem-estar social livre de fósseis do mundo, a colaboração entre empresas, academia e setor público é crucial. O trabalho realizado pela SSAB, LKAB e Vattenfall no âmbito da Hybrit impulsiona o desenvolvimento de toda a indústria e é um modelo internacional”, disse o ministro do Comércio e Indústria da Suécia, Ibrahim Baylan.

Os esforços do setor produtivo para reduzir a pegada de carbono têm se intensificado e essa iniciativa traz uma perspectiva importante.

“O primeiro aço livre de fósseis do mundo não é apenas um avanço para a SSAB, é a prova de que é possível mudar e reduzir significativamente a pegada climática da indústria siderúrgica globalmente. Esperamos que isso possa inspirar outras pessoas a também querer aumentar o ritmo da transição verde’, destacou Martin Lindqvist, presidente da SSAB.

Já em 2026, o objetivo é entregar ao mercado aço isento de elementos fósseis e colocar essa tecnologia em escala industrial. Com a ajuda da tecnologia Hybrit, a SSAB tem o potencial de reduzir as emissões totais de dióxido de carbono da Suécia em pelo menos 10%, e da Finlândia, em 7%.

“É um passo importante para a criação de uma cadeia de valor totalmente livre de fósseis, da mina ao aço acabado. Já mostramos juntos que isso é possível e a jornada continua. Industrializando a tecnologia no futuro e mudando para a produção de esponja de ferro em escala industrial, possibilitamos que a indústria do aço se adapte. Essa é uma ação importante que podemos fazer juntos pelo clima”, completou Jan Moström, presidente da LKAB.

Para Anna Borg, presidente da Vattenfall, é gratificante e muito importante que a Hybrit tenha possibilitado à SSAB produzir o primeiro aço livre de fósseis e entregá-lo ao cliente. 

“Essa entrega mostra como as parcerias e a cooperação podem contribuir para reduzir as emissões e aumentar a competitividade das indústrias. A eletrificação contribui para permitir uma vida livre de combustíveis fósseis”, disse.

SSAB, LKAB e Vattenfall criaram Hybrit (Hydrogen Breakthrough Ironmaking Technology”, em 2016 com o objetivo de desenvolver uma tecnologia para a produção de ferro e aço sem fósseis. Em junho de 2021, as três empresas puderam apresentar o primeiro material de ferro com redução de hidrogênio. Esse primeiro material teste de ferro foi usado para produzir o primeiro aço feito por essa técnica inovadora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia também

direito ao esquecimento bandeira da Suécia

“Direito ao esquecimento” faz Google levar multa recorde na Suécia

0
Na última semana, o descumprimento do chamado "direito ao esquecimento" fez o Google levar uma multa sem precedentes na Suécia. Com base em uma...
- Publicidade -